TEMA E LEMA – IV FLICT

TEMA: POESIA EM TEMPOS DE PANDEMIA
LEMA: CUIDADOS COM O CORPO, MENTE E EMOÇÕES

 

Um logotipo pode contar muito da sua história ou propósito existencial, sem nenhuma ajuda de interpretação. Já outros podem parecer simples ou sem sentido à primeira vista, mas podem esconder significados geniais ou apenas curiosos, depois de uma tradução ou interpretação mais criteriosa, que é o que vamos mostrar neste artigo sobre a logo da FLICT 2021 – 4ª Edição que apresenta como uma arte pensada e bem elaborada pode tornar uma marca memorável.
A logomarca da FLICT 2021 é a representação visual de sua identidade. É por meio dela que será reconhecida e lembrada facilmente pelo público. Por isso, é tão importante fazermos um estudo mais aprofundado.

A FLICT – Feira de Literatura, Cultura e Turismo da Região dos Cocais, que acontece em Caxias – reconhecida mundialmente através da Rede Mundial de Computadores – Internet, a partir de sua 3ª Edição em 2020, quando aconteceu no formato “on”, foi transmitida pelo Canal Educação no YouTube proporcionando a participação de 7 países distintos e mais de 40 mil pessoas conhecendo e reconhecendo a importância de uma Feira de Literatura organizada pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia de Caxias em parceria com a Região dos Cocais, Escolas Públicas Municipais e Instituições ligadas a Educação da Princesa do Sertão Maranhense.

A Região dos Cocais é composta pelos Municípios vizinhos a Caxias. O território da Cidadania Cocais–MA está localizado na região Nordeste e é composto por 17 municípios: Afonso Cunha, Aldeias Altas, Buriti Bravo, Caxias, Codó, Coelho Neto, Coroatá, Duque Bacelar, Fortuna, Lagoa do Mato, Matões, Parnarama, Peritoró, São João do Soter, Senador Alexandre Costa, Timbiras e Timon.

A logo da FLICT inicialmente adornada pelos ARCOS do Mirante, Complexo da Balaiada, já bastante distinta, agora se expande para seu novo formato: um LIVRO ABERTO, intencionalmente mostrando a importância do livro na vida cidadã e no desenvolvimento da educação das crianças, adolescentes, jovens e idosos profissionais, estudantes, empresários, escritores, poetas, pintores, escultores caxienses. O Livro dividido em duas partes tem suas páginas abertas, com interfaces vazadas realçando a ideia da incompletude do ser humano e a abertura ao novo, a inovação, acalentando duas cores distintas: o azul e o amarelo; ambas as cores têm sua assertividade, com base no que explorou o pintor holandês Vincent Van Gogh em suas obras, essas tonalidades da cor amarela e azul de forma muito intensa. O azul é a cor do céu. Frequentemente associada com a profundidade e estabilidade. Simboliza a confiança, lealdade, sabedoria, inteligência, fé, verdade, e do céu. A cor azul está fortemente associada a tranquilidade e serenidade. Já o amarelo significa luz, calor, descontração, otimismo, alegria, simboliza o sol, o verão, a prosperidade e a felicidade. É uma cor inspiradora e que desperta a criatividade, além de estimular as atividades mentais e o raciocínio. Vimos então as MÃOS QUE SE ABREM/ ACOLHEM: A mão de uma educadora precisa ser um exemplo da sensibilidade com que se tratam os mínimos detalhes e do valor que se dá às atitudes aparentemente irrelevantes no contato diário e regular com a educação. Estão abertas e acolhendo o LIVRO, essa representação é feita pela união, ambas apontadas para cima, uma para a direita e outra para a esquerda. As Mãos ainda ressaltam o cuidar ainda mais relevante associadas aos demais sentidos que se traduzem em educação, poesia, ressaltando “As mãos de Eurídice” um monólogo que proporciona o envolvimento do público naquilo que é tão antigo como contar uma história, de Pedro Bloch. O conjunto mostra que a cultura das mãos e os movimentos conscientes permitem cuidar do outro de forma que se sinta alegre, bem, tranquilo, favorecendo o comportamento recíproco, que colabora com a construção do aprendizado e com a formação empática. São muitas emoções sutis e marcantes que estão envolvidas nessa relação. A relação que se constrói sobre esse encontro de desejos e expectativas, através das atividades produzidas pelos estudantes, professores, gestores, coordenadores das Escolas. Além de todos esses pontos ocultos e interessantes as letras “IV FLICT” se destacam na cor branca, que sugere pureza, cria a impressão de luminosidade, também transmite a ideia de frescor e calma. Combinado com as outras cores, proporciona harmonia, limpeza, bem, pensamento, juventude, paz pureza, dignidade, despertar, harmonia, infância. O tema “POESIA EM TEMPOS DE PANDEMIA, nos remete à realidade atual: diante de todo esse cenário assustador que estamos vivendo, a poesia é uma válvula de escape que nos ajuda a distrair e a pensar. Isso em mente, acredita-se que o participante da FLICT possa sair do tédio e dar vasão a alguns sentimentos presos que geram angústia e medo. Através da identificação que o leitor tiver com o tema, pode ser uma maneira de externalizar o que não conseguimos falar. No formato de U aberto, o tema é preenchido com uma gota recheada pelo mundo: o planeta azul envolto pela necessidade da vacina para um vírus tão letal. A Terra está sofrendo uma crise de crescimento para se tornar um mundo maduro e, portanto, melhor. E somente através da educação, da ciência e da tecnologia isso será possível. O Lema “CUIDADOS COM O CORPO, A MENTE E EMOÇOES”, reiteram que deve haver um equilíbrio entre corpo e mente para manter nosso desempenho. Mens sana in corpore sano, uma citação latina, derivada da Sátira X do poeta romano Juvenal. No contexto, a frase é parte da resposta do autor à questão sobre o que as pessoas deveriam desejar na vida. Encontra-se no formato linear aberto, definindo-se por aquilo que é feito sem rodeios, aquilo que é reto e direto; tem começo, meio e fim. Ou seja, começa a partir de um evento que desencadeia outros diversos pontos, contra e a favor, até chegar a uma nova dimensão, dando a ideia de continuidade da FLICT/Caxias.

Profa. MsC. Ana Celia P. Damasceno de Macedo
Secretária Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia